Como Transcrever a Precisão do Projeto BIM para o Momento da Execução em Obra.

A demanda pelo uso de BIM está em constante ascensão pela indústria AEC. Conheça mais sobre a metodologia e como utilizá-la nas fases de projeto e execução.


Com o avanço do incentivo governamental para o uso de BIM, através de decretos e estratégias, como o recém publicado Decreto N° 10.306, de 2 de abril de 2020, e com a Estratégia BIM, que objetiva implementar o uso da metodologia em todas as suas esferas para obras públicas até 2028, entende-se que esta transição está apenas no início e que se traduz em uma grande tendência e revolução neste setor.



VOCÊ SABE O QUE É BIM?


O principal ponto é compreender que BIM não é uma tecnologia, não se trata de um software. BIM é a metodologia que agrega colaboração, inovação, coordenação, cooperação, planejamento e processos no âmbito da construção civil.


Através dessa metodologia é possível simular uma obra por completo de forma virtual e extrair informações relevantes como lista de materiais, levantamento quantitativo, orçamento, fornecedores envolvidos, fases de planejamento, análises energéticas, simulações de carga de elementos, entre outros.


Trata-se de uma revolução não apenas digital, mas especialmente na maneira como os diversos partícipes da construção estão envolvidos e trabalham em cooperação. Ou seja, cada disciplina de projeto deixa de ser analisada de forma independente e passa-se a analisar o projeto como um todo. Desta forma é possível identificar e prever possíveis erros que antes só era possível no momento de execução da obra (o que resultava muitas vezes em atraso de cronograma, altos custos e retrabalho) e traçar alternativas ainda em momento de projeto.


Resumindo, o intuito é obter projetos colaborativos e mais assertivos. Desta forma, é possível alcançar, entre outros benefícios, uma execução de obra mais ágil e com menores percentuais de desperdício de materiais, tempo e espaço.


Figura 1 – Motivos para evoluir com BIM



O BIM SE LIMITA APENAS A FASE DE PROJETO?


Uma grande dúvida surge quanto a possibilidade de levar para o canteiro de obras a precisão elaborada em projeto, e para isso, parceiros do setor de construção civil têm desenvolvido tecnologias que atendem esse requisito de forma minuciosa quanto a precisão e riqueza de detalhes.


Um exemplo disso é a Hilti, líder mundial em tecnologias desenvolvidas para o setor e profissionais da construção, desenvolve soluções que integram projetos em BIM e a execução da obra. Compreendemos que a colaboração e integração entre todos os players é imprescindível para obter um resultado preciso, seguro e que eleve a produtividade. Portanto, “Como levar para o canteiro de obras a precisão elaborada em projeto?”


A disponibilidade de equipamentos de precisão de alta tecnologia, como por exemplo a estação total PLT 300Hilti, facilita este processo.


Este recurso passa a ser utilizado no canteiro, a partir da modelagem BIM, e se traduz em ganho de produtividade, pois possui posicionamento e nivelamento automáticos. Através do PLT 300, e seu complementar tablet PLC 400, é possível realizar a leitura do projeto em diversas extensões, além de sua interoperabilidade funcionar com os softwares BIM mais utilizados no mercado. Clique aqui para saber mais sobre o PLT 300 e como ele pode solucionar as demandas do seu dia-a-dia ou entre em contato com a Hilti do Brasil através do endereço giovanna.marquioreto@hilti.com.br.



*Por Giovanna Marquioreto Responsável pelo desenvolvimento de BIM na Hilti do Brasil em Parceria com a ABIMRJ



O que você achou deste conteúdo? Fique à vontade para comentar e compartilhar suas ideias e opiniões, a ABIMRJ está de braços abertos para te ouvir.


Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de tudo que a ABIMRJ está preparando para você.

38 visualizações